Loading...

22/02/2018

Os 6 tipos de doadores. Qual é o seu?

Assim como existem diversos tipos de causa para apoiar, existem diversos tipos de doadores.

Já se perguntou em qual você se encaixa?

Nós selecionamos alguns dos perfis mais populares no terceiro setor para você descobrir como se comporta quando decide fazer um bem! Basta conferir com quais características a seguir você mais se identifica:


Doador clássico

 

O perfil mais comum, de acordo com uma pesquisa do Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS), é definido da seguinte forma: 

     É mulher;

     Está acima dos 40 anos;

     Mora na região Centro-Oeste, Nordeste ou Norte;

     Tem ensino superior;

     Tem religião;

     Está satisfeita com a própria renda;

Esse perfil costuma doar bens, tempo ou dinheiro e é responsável por boa parte dos R$ 13,7 bilhões arrecadados pelo terceiro setor em 2015.


Doador motivado

 

O doador motivado é aquele que doa quando pedem. Muitas vezes indeciso quanto a qual causa apoiar, prefere esperar um “empurrãozinho” antes de contribuir com qualquer uma. 

Esse perfil geralmente gosta de doar dinheiro diretamente a quem precisa. Por isso, é onde encontramos as pessoas que apoiam moradores de rua e que contribuem com as arrecadações de sua instituição religiosa ou de uma ONG já conhecida, ao invés de doar para fundos que repassarão os recursos.

Também podem ser aqueles que apoiam campanhas específicas após um pedido nas redes sociais ou na televisão, por exemplo.


Doador antenado

 

O doador antenado usa a tecnologia a seu favor na hora de apoiar. É aquele que aproveita as facilidades da internet para fazer suas contribuições, seja na hora de doar, efetivamente, ou de escolher uma causa. 

Esse tipo de doador também costuma estar bem informado quanto às atualizações do terceiro setor e gosta de fazer pesquisas aprofundadas sobre os fundos, ONGs ou beneficiários que está apoiando.

Quando não pode doar, ele faz questão de divulgar a campanha para seus amigos e, sempre que possível, participa de pesquisas e ajuda a espalhar informações relevantes.


Doador que doa tudo, menos dinheiro

 

Alimentos, roupas, bens, tempo… Esse tipo de doador pode não apoiar financeiramente, mas está sempre contribuindo de alguma forma. 

Segundo a pesquisa do IDIS que mencionamos acima, muitas pessoas ainda desconfiam das organizações do terceiro setor. Esse é um dos motivos pelos quais os doadores desse perfil preferem apoiar com outros recursos.

Mas também há aqueles que não têm condições de doar dinheiro, só que não querem que isso seja um empecilho para fazerem um bem.

Aqui encontramos aqueles que sabem que qualquer ajuda é válida e que toda doação faz a diferença para quem precisa.


Doador festivo

 

É o doador que prefere doar só no fim do ano, aproveitando as campanhas solidárias de Natal e Ano Novo. 

Muitos dos que se encaixam nesse perfil costumam aproveitar o ano para ir juntando peças de roupa, bens ou quantias para doar a uma organização ou instituição religiosa, que repassará a contribuição.

Também é comum reservar o período para fazer trabalhos voluntários.

Seja dinheiro, bens ou tempo, esse apoio é garantia de que as ONGs e seus beneficiários começarão o ano seguinte com o pé direito.


Doador comprometido

 

Uma vez por mês, esse doador contribui com alguma quantia, bem ou trabalho voluntário. Pode ser para a mesma causa ou para causas diferentes, o importante é que que a doação seja frequente. 

No caso da doação de dinheiro, algumas organizações inclusive oferecem a opção de contribuição mensal através do cartão de crédito ou da emissão de boleto, para facilitar.

É um tipo raro, devido, principalmente, à situação econômica de nosso país. Mas isso não significa que sejam poucos: cerca de 30% da população brasileira doa mensalmente, e a grande concentração das doações fica entre 20 e 40 reais mensais.

 

E aí, descobriu o seu tipo? É um pouco de cada? Conhece outros?

Compartilhe o resultado com seus amigos e com a 1BEM no Facebook, e aproveite para acompanhar nosso perfil também no Instagram!

E lembre-se: não existe um tipo melhor ou pior. Toda ajuda é bem-vinda para quem precisa!

Vamos #Fazer1Bem, juntos?